DEDO EM BOTOEIRA

 

Dedo em botoeira: deformidade no dedo é causada por traumatismos e deve ser tratada rapidamente

A deformidade em botoeira, ou lesão do tendão extensor central, impede que o dedo seja esticado, levando a articulação interfalângica proximal a uma flexão, e a extensão da interfalângica distal – a típica deformidade do dedo.

Esse é um tendão que se lesiona com bastante frequência, principalmente quando um dedo é flexionado a força, ou quando se desloca em direção à palma da mão.

Principais causas

A lesão do tendão extensor é causada, na maioria das vezes, por um forte traumatismo durante a realização de alguma atividade com as mãos, ou ainda por um corte que atinge a região superior dos dedos. Também é possível que pessoas com artrite reumatoide lesionem o dedo com mais facilidade.

Sintomas

Os sintomas de deformidade começam a se desenvolver de forma imediata após a lesão. Mas, em alguns casos, pode acontecer de surgirem gradualmente, em até três semanas.

Quando a deformação é crônica, a articulação torna-se dura e se mantém em posição flexionada, sem que seja possível se endireitar (nem o uso da outra mão pode ajudar).

Além destes, o aparecimento de edema e dores nas articulações também estão entre os principais sinais do problema.

Como é feito o tratamento?

O tratamento deve ser realizado logo no início, após o diagnóstico, para evitar que o problema se torne ainda mais grave. Geralmente, a lesão do tendão extensor possui um tratamento inicial com a colocação de tala para imobilizar a região afetada.

Em casos crônicos, o uso de órteses seriadas pode ser uma boa alternativa.

Em casos mais graves, pode ser indicada a cirurgia, a fim de melhorar a dor, a mobilidade, e corrigir a deformidade no dedo.

dr fernando moya assinatura

Por Dr. Fernando Moya.

 

CRM 112.046

Formado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com residência em Ortopedia e Traumatologia, pelo instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Especialização em cirurgia da mão e microcirurgia também pelo Hospital da FMUSP.

faixa-dr fernando moya-300x2

 

Fale Conosco

Share This