Artrose no punho: diagnóstico e tratamento

Atualizado em: 12/03/2021 por Dr. Fernando Moya -CRM 112046

3 minutos

[wpseo_breadcrumb]

Artrose no punho é um tema relativamente incomum porque a articulação do punho acaba sendo muitas vezes polpada nos processos degenerativos. Portanto, existem poucos acidentes ou fraturas relacionados com o punho.

Esse problema não é muito comum na degeneração primária, ou seja, sem um motivo específico. É mais comum nos casos secundários a acidentes, traumas, luxações e fraturas, principalmente do rádio distal, da ulna e das lesões dos ossos do carpo, como escafoide e semilunar.

A definição de artrose é o desgaste articular primário (degenerativo) ou secundário (decorrente de algum acidente).

Sintomas e diagnóstico da artrose no punho

Os sintomas mais típicos para quem tem artrose no punho é sentir uma limitação de movimento e dor articular no punho. Muitas vezes, é possível perceber algumas deformidades, como inchaço, articulação mais grossa e alteração no alinhamento.

O diagnóstico consiste em raio-x tomografia computadorizada. Caso haja suspeita de lesão ligamentar ou algum dano articular mais grave, a ressonância magnética pode ser indicada.

 

Como tratar artrose no punho

Para tratar a artrose no punho, é preciso considerar a patologia de base para encaminhar o paciente para o tratamento mais adequado.

Se for uma lesão mais suave sem risco de progressão, é possível indicar reabilitação, infiltração ou algo mais simples, dependendo do caso. Caso seja uma lesão mais acentuada e que esteja limitando a qualidade de vida do paciente e a funcionalidade do punho, pode-se indicar uma cirurgia.

Sobre o Autor

Sou Fernando Munhoz Moya Ortopedista CRM 112046 graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2003.
0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 7 =

Últimos Posts

Doença de Preiser

Doença de Preiser

A Doença de Preiser é muito rara e não se sabe qual sua causa, por isso o tratamento não é único, precisa ser diagnosticado caso a caso. Veja o que o Dr. Fernando Moya tem a dizer.

ler mais
× Agendar Consulta.