Início » Fratura de metacarpo: diagnóstico e tratamento


A imagem mostra o Dr. Fernando Moya olhando para a câmera, sorrindo e de braços cruzados.Dr. Fernando Munhoz Moya
 GoogleMyCitations 
CRM: 112.046
Atualizado em: 21/08/2020 por Dr. Fernando Moya

Fratura de metacarpo: diagnóstico e tratamento

Uma pergunta foi feita em nosso canal do Youtube:

“Fui submetido a uma cirurgia de fratura de metacarpo. Como diagnosticar? Ainda sinto dor.

O que é fratura de metacarpo

Em geral, as fraturas são processos traumáticos que envolvem algum tipo de incidente, seja uma queda, uma pancada, um entorse, entre outros.

Isso provoca, de uma maneira objetiva, uma lesão óssea. Dependendo do tipo de lesão, você poderá tratar de maneira conservadora ou cirúrgica.

Diagnóstico da fratura de metacarpo

A primeira linha de investigação vai ser baseada em um raio-x. Se houver alguma dúvida, você pode adicionar uma tomografia computadorizada. Caso seja uma lesão ligamentar ou uma lesão de tendões, a gente pode agregar uma ressonância para fazer um diagnóstico mais adequado.

Na grande maioria das lesões, um raio-x é suficiente para a gente averiguar, avaliar e decidir se vai ser tratamento conservador ou cirúrgico.

Tratamento da fratura de metacarpo

Tratamento conservador 

O tratamento conservador é realizado com base em gesso, talas ou órteses. A principal complicação é o processo de rigidez, pois estamos privilegiando a cicatrização em detrimento do movimento. Após ter a cicatrização óssea, o movimento em detrimento da proteção passa a ser privilegiado.

A principal complicação que a gente encontra com o tratamento conservador através da mobilização é a rigidez. Normalmente, a rigidez é tratada com fisioterapia, reabilitação ou terapia ocupacional.

O tempo de recuperação varia em cerca de um mês a um mês e meio de mobilização. Depois desse prazo, um período subsequente de tratamento com reabilitação vai depender da velocidade de recuperação de cada paciente.

Tem paciente que se recupera entre duas, quatro e seis semanas. Às vezes, até mais, depende de cada fatura e de cada paciente.

Tratamento cirúrgico

Por outro lado, quando existe uma indicação cirúrgica, existem outros tipos de contratempos. Por exemplo, problemas relacionados à cicatriz, aderência de tendões, infecções superficiais e problemas relacionados ao material que foi escolhido.

Portanto, se você foi submetido a uma cirurgia com pinos, você pode ter problemas relacionados a esse pino. Se você foi submetido a uma cirurgia e colocou placa e parafuso ou só parafuso, também têm outros processos que causam desconforto e dor persistente.

É necessário lembrar que para todas as fraturas, seja de tratamento conservador ou de tratamento cirúrgico, as possíveis falhas de cicatrização existem.

Fratura de metacarpo não é comum, mas pode acontecer. Cada caso é um caso, cada fratura tem as suas particularidades. Alguns casos vão evoluir favoravelmente e outros com mais dificuldade em seu manejo.

Resumidamente, o tratamento conservador tem efeito colateral, que é a rigidez tratada com fisioterapia, e os tratamentos cirúrgicos possuem outras complicações relacionadas com a cirurgia.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + sete =

dr fernando moya assinatura

Por Dr. Fernando Moya.

CRM 112046

Formado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com residência em Ortopedia e Traumatologia, pelo instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Especialização em cirurgia da mão e microcirurgia também pelo Hospital da FMUSP.

faixa-dr fernando moya-300x2

 

Fale Conosco

× Agendar Consulta.