Lesão da fibrocartilagem triangular: o que é?

Atualizado em: 22/04/2021 por Dr. Fernando Moya -CRM 112046

3 minutos

[wpseo_breadcrumb]

A fibrocartilagem triangular é um complexo de estruturas que fica situado no punho. Ela apresenta grande importância para a mobilidade completa das mãos e dos punhos principalmente no sentido da mobilidade rotacional, estabilizando as articulações e absorvendo impactos.

Ao fundo da imagem, há um punho com uma lesão.

As causas da lesão da fibrocartilagem triangular

Na verdade, qualquer tipo de lesão por impacto ou principalmente entorses nos punhos podem gerar lesões agudas da fibrocartilagem triangular.

Além destas, as lesões podem se dar por repetições de estresse da região, como esportes que utilizem o punho com movimentos rotatórios, ou determinadas atividades laborativas.

Sintomas da lesão da fibrocartilagem triangular

Um dos principais sintomas é a dor, provocada pelo estiramento da fibrocartilagem triangular, principalmente na borda ulnar do punho (região que se encontra no prolongamento da borda do dedo mínimo). Mas, dependendo da gravidade da lesão, poderão surgir outros sintomas como limitação do movimento do punho, inchaços e fraqueza para execução de alguns movimentos.

Como tratar a lesão da fibrocartilagem triangular?

O tratamento desta lesão visa aliviar a dor e garantir o reequilíbrio das funções do punho. E isso dependerá do estado em que a articulação estará e a extensão da lesão.

Uma das melhores opções é o tratamento conservador, sem a necessidade de cirurgia, que conta com métodos mais simples. Reabilitação com fisioterapia ou terapia ocupacional, associada a acupuntura e imobilizações (órteses) fazem parte do primeiro estágio.

O uso de anti-inflamatórios e analgésicos será indicado pelo próprio médico, portanto: nada de se automedicar!

A infiltração local, uma injeção de cortisona aplicada para reduzir as dores e o inchaço, segue como uma opção secundária nessa linha de tratamento, com boas respostas.

Em casos de gravidade mais acentuada da lesão ou eventuais falhas do tratamento mais simples, o tratamento deverá ser feito por cirurgia. A mais utilizada é a artroscopia, procedimento pouco invasivo, considerado inovador, mas com resultados muito consistentes.

O que achou do post de hoje? Deixe seu comentário!

Sobre o Autor

Sou Fernando Munhoz Moya Ortopedista CRM 112046 graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2003.
4 Comentários
  1. Maria Fernanda Pereira Tacchi

    Dr, por volta de uns 7 meses eu descobri que tenho fibrocartilagem triangular classe 2A, além de espaçamento unular.
    sou lutadora de muay thai, com isso deixei de treinar, na parte da mão estou com distrofia na mão.
    gostaria de saber se poderia treinar, quais procedimentos tomar, pois tenho dor intensa 24h? desde já agradeço

    Responder
    • Dr. Fernando Moya

      Olá, Maria. Acredito que deve ser necessário procurar um especialista para analisar a melhor forma de tratamento.

      Abraços.

      Responder
  2. Vanessa

    Bom dia, Dr! Tive uma Lesão parcial da inserção ulnar da fibrocartilagem triangular e um Derrame articular rádio-ulnar de pequeno volume devido à uma queda em Novembro.

    Como final de ano quase todos os médicos de minha cidade tiram férias, consegui uma consulta esses dias em um especialista de mão. Ele me orientou a não imobilizar porque poderia ter uma artrose. Não me deu nenhum remédio e orientou que eu não use a mão. Achei tudo isso muito estranho, pois não tem como ficar sem usar a mão, já que foi justamente a direita que lesionei e sou destra.
    Tenho muitas dores e não encontro nenhum especialista que possa me ajudar. Por conta coloquei uma tala móvel, pois se não mexo não sinto dor.
    O que o Sr. pode me orientar?

    Responder
    • Dr. Fernando Moya

      Bom dia.

      Nesses casos de lesão parcial da fibrocartilagem triangular, a conduta costuma ser conservadora. Imagino que já deve ter sido feito o exame confirmatório – a ressonância magnética do punho Inicialmente confiamos na proteção local (isso logo após a lesão), repouso e medicações de suporte. Depois de alguma tempo – ou melhor – em lesões crônicas – a imobilização já não faz mais sentido e a opção mais frequente é de iniciar o processo de reabilitação. Se após o tratamento proposto não for obtido uma melhora clínica, outros procedimentos podem ser indicados, a depender de cada profissional.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 11 =

Últimos Posts

Doença de Preiser

Doença de Preiser

A Doença de Preiser é muito rara e não se sabe qual sua causa, por isso o tratamento não é único, precisa ser diagnosticado caso a caso. Veja o que o Dr. Fernando Moya tem a dizer.

ler mais
× Agendar Consulta.