Lesão do nervo periférico: o que é e como tratar

 

O que é a lesão do nervo periférico?

Os nervos são estruturas semelhantes a pequenas “fibras ópticas” encarregadas de levar estímulos ao corpo. Para levar informações ao cérebro, são utilizados os axônios, e em sentido contrário, os dendritos. As lesões que acometem essas estruturas trazem prejuízos  parcialmente ou totalmente a função dos nervos.

E qual seria a função dos nervos periféricos? Esses são responsáveis por levar impulsos aos corpo, tais como por exemplo a contração dos músculos das mãos, captando a sensibilidade, motricidade e controlando o fluxo sanguíneo. Continue lendo para saber mais sobre este problema e qual a forma adequada de tratamento.

 

O que causa a lesão do nervo periférico?

Entre as causas mais comuns de lesão do nervo periférico estão os ferimentos ou cortes nas mãos, que geralmente são ocasionados por acidentes automobilísticos, acidentes com prensas, ou ainda domésticos (com cortantes).

Além dessas, existem as lesões por compressão, ou seja, por aumento de pressão sobre a estrutura nervosa, que é extremamente delicada e suscetível a variações dessa natureza.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico costuma ser feito pelo médico ortopedista, que irá fazer uma avaliação do ferimento do paciente. Se houver a suspeita de lesão do nervo periférico, são feitos alguns testes, como o de discriminação de dois pontos. Esse teste é bem simples, é realizado com dois toques com um objeto pontiagudo na pele, com cinco milímetros de distância. Caso o paciente não sinta o toque, é um sinal de que houve algum tipo de lesão.

Outra maneira de identificar a lesão é através do toque na pele. Se houver uma sensação de choque ou ainda uma alteração tipo dormência ou formigamento, significa que a região provavelmente está lesionada.      

 

Qual a melhor forma de tratar?

O tratamento dependerá muito da gravidade do ferimento e do tipo de lesão que acomete o nervo, pois o mesmo possui a capacidade de se regenerar sozinho em algumas situações.

Se estamos frente a uma  lesão nervosa de fato, e temos um ferimento aberto (por esmagamento ou corte) será conveniente algum tipo de reparo, sendo em geral, algo com relativa urgência.

Essa cirurgia de reconstrução do nervo é extremamente delicada, pois exige um aparato próprio para as microcirurgias, como pinças, lupas e fios de sutura, que muitas vezes, podem ser mais finos que um fio de cabelo.

Muitas vezes podem ser feitos reparos diretos, ou seja, boca-a-boca entre as partes lesionadas, mas em outras situações, podem ser necessários enxertos nervosos, neurotubos entre outras opções.

A regeneração do nervo e recuperação do paciente é mais fácil para jovens e crianças. Em adultos e idosos com mais de 60 anos, o processo é um pouco mais lento. Neste caso, é preciso ter paciência, pois a recuperação poderá levar até mesmo um ano.              

Durante esse tempo, devem ser realizadas sessões de fisioterapia com o objetivo de estimular os outros tecidos que não foram danificados, para que não corram o risco de atrofiarem. E para finalizar, não se esquecer de manter uma dieta equilibrada e rica em nutrientes.

Veja também: Lesão dos tendões flexores. 

Agora que você já sabe mais informações, fique atento e ao menor sinal de lesão do nervo periférico, consulte o médico especialista.

dr fernando moya assinatura

Por Dr. Fernando Moya.

 

CRM 112046

Formado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com residência em Ortopedia e Traumatologia, pelo instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Especialização em cirurgia da mão e microcirurgia também pelo Hospital da FMUSP.

faixa-dr fernando moya-300x2

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco

Share This
WhatsApp Agende sua consulta