Cisto Sinovial: Dr. Fernando Moya responde

Atualizado em: 11/03/2021 por Dr. Fernando Moya -CRM 112046

3 minutos

Início » Cisto Sinovial: Dr. Fernando Moya responde

Dr. Fernando Moya Responde – Algumas perguntas foram feitas em nosso canal do Youtube e serão respondidas aqui.

Recidiva de cisto sinovial

Estatisticamente falando, existem mais ou menos 15 a 20% de casos que pode haver a recidiva, porém, depende do local do cisto. Por exemplo, os cistos no punho possuem maior chance de recidiva, já os cistos de dedo são menos frequentes.

Isso é apenas uma estatística, ou seja, quando todos os casos operados são totalizados, independente do tamanho e da localização, existem em média 15 a 20% de recidivas.

Complicações do cisto sinovial não tratado

Para o cisto sinovial ser tratado, devemos primeiro levar em consideração se o paciente está sentindo alguma dor, desconforto ou limitação da mobilidade. Caso isso exista, o tratamento poderá ser indicado, seja com cirurgia ou punção. Portanto, se a pessoa não sentir nenhum incômodo, o não tratamento não levará a problemas maiores.

Relacionados ao tema

Tratamento para cisto sinovial pequeno

Caso a pessoa sinta dor, desconforto ou incômodo é interessante tratar mesmo que seja pequeno. E se o cisto for grande e indolor, pode ser apenas observado.

Tratamento para cisto sinovial que não apresenta dor

Como dito nas respostas acima, se o paciente não apresentar dor, o cisto não precisa ser tratado. Hoje em dia, as pessoas se preocupam muito com a questão estética, e nesses casos pode ser indicado algum procedimento, seja drenagem, punção ou cirurgia.

Cuidados pós-operatórios na retirada do cisto sinovial

O principal desafio, principalmente no cisto dorsal, é a alteração cicatricial pós-operatória, como as aderências que são formações de cicatrizes que se aprofundam e podem provocar limitação da mobilidade e dor.

As grandes sacadas do pós-operatório são: cuidar bem da cicatriz e não deixar que ocorram aderências; e tomar cuidado com a incisão para não contaminar ou ter alguma infecção.

O que achou do post de hoje? Deixe seu comentário!

Sobre o Autor

Sou Fernando Munhoz Moya Ortopedista CRM 112046 graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2003.
0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × cinco =

Últimos Posts

Doença de Preiser

Doença de Preiser

A Doença de Preiser é muito rara e não se sabe qual sua causa, por isso o tratamento não é único, precisa ser diagnosticado caso a caso. Veja o que o Dr. Fernando Moya tem a dizer.

ler mais
× Agendar Consulta.