Fratura de punho: como ocorre e qual o tratamento

Uma das primeiras coisas que as pessoas fazem ao levar uma queda, na tentativa de proteger o rosto e outras regiões do corpo, é estender as mãos na direção do solo. Como consequência desta ação, que gera uma pressão muito forte, e pode acontecer uma fratura de punho.

O maior osso do antebraço é chamado de rádio, e a extremidade desse osso se localiza na altura do punho. Desta forma, a fratura de punho passa a ser fratura do rádio distal, sendo a mais comum e frequente de todo o corpo, correspondendo a 1/6 de todas as fraturas.

 

Incidência de fraturas de punho:

A fratura de punho é muito comum em crianças de 6 a 10 anos de idade, época onde os ossos estão em desenvolvimento, e algumas regiões ainda não estão totalmente ossificadas. Já por volta de 50 ou 60 anos, há uma fragilidade óssea devido à osteoporose, o que torna a região mais sensível e suscetível a fraturas, muitas vezes por traumas menores.

Provavelmente, com o aumento dos acidentes de trânsito que envolvem motocicletas, bicicletas e patinetes, a incidência da fratura aumenta a cada ano, apresentando padrões ainda mais complexos em termos de gravidade.

 

Como acontece a fratura de punho?

Quando ocorre um trauma, ele pode fazer com que o rádio distal seja fraturado de várias formas como: fratura de Coles (quando o osso se desvia para o dorso), fratura intra-articular, (quando se estende até a articulação), fratura exposta (quando há lesão de pele associada) e fratura cominutiva (quando o osso quebra em mais de dois pedaços). Entre os principais sintomas estão: hematomas, inchaço, dor, e deformidade da região afetada.

Veja também: O que é Fratura de Metacarpo?

 

Como funciona o tratamento:

O tratamento para fratura de punho deve ser feito de imediato, com uma avaliação cuidadosa do médico ortopedista especialista em mãos. Isso evitará tratamentos insuficientes e complicações que possam gerar deformidades no punho. Geralmente, é feita a imobilização com tala ou gesso, para evitar que o mesmo se movimente.

Quando o osso não consegue ser posicionado de forma adequada, é possível que o médico indique uma intervenção cirúrgica. Apenas o especialista poderá dizer qual o procedimento mais adequado para tratar o problema, se serão inseridos pinos intraósseos (os fios de aço), parafusos, fixadores externos ou placas.

dr fernando moya assinatura

Por Dr. Fernando Moya.

 

CRM 112046

Formado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com residência em Ortopedia e Traumatologia, pelo instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Especialização em cirurgia da mão e microcirurgia também pelo Hospital da FMUSP.

faixa-dr fernando moya-300x2

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco

agsdi-whatsapp
Share This