Postura de Trabalho

Atualizado em: 22/04/2021 por Dr. Fernando Moya -CRM 112046

3 minutos

Início » Postura de Trabalho

O melhor modo para adotar posturas e métodos que podemos agregar no dia a dia para evitar dor, desconforto, desenvolvimento da Tendinite e minimizar os efeitos da postura mantida durante muito tempo é a ergonomia.

Primeira dica:

O método mais adequado para se sentar é com os pés apoiados no chão, ângulos de 90 graus no joelho e no quadril e apoio adequado para as costas.

O correto é prestar atenção na altura do monitor, a ideia é que o monitor esteja centrado na altura dos olhos. Principalmente na área de cirurgia de mão, precisamos prestar bastante atenção na posição dos punhos e ombros.

Deixar o braço sem apoio geralmente aumenta o desgaste da região do ombro. Manter o cotovelo sem apoio não costuma ser uma boa ideia. A sugestão geralmente aceita é apoiar os cotovelos nas mesas ou apoiar nos braços das cadeiras para que você não deixe o ombro sobrecarregado.

Veja também: Tendinite – piora no inverno?

Relacionados ao tema

Segunda dica:

Nunca deixar o punho em excesso de extensão, nem em excesso de reflexão. Geralmente a posição neutra é o ideal. Essa posição neutra às vezes precisa de um anteparo, algum apoio que você possa utilizar para não forçar nenhum excesso de extensão, nem excesso de flexão.

Terceira dica:

Não fazer com que o posicionamento lateral dos braços se exceda. Manter os braços abertos também gera uma sobrecarga.

Essas três dicas e sugestões pra punho, cotovelo e ombro são bastante interessantes.

Aparelhos eletrônicos:

Muitas pessoas adotam posturas com inclinação para frente do aparelho e geralmente acabam gerando stress, aumentando dor nos tendões do punho e polegar.

Na medida do possível, manter uma posição mais próxima da posição natural é mais interessante. Se ficar muito tempo repetindo os movimentos, é adequado fazer pausas e alongamentos.

Tudo em excesso pode gerar desconforto e inflamação. É preciso prestar atenção nesses tópicos para evitar maiores prejuízos.

O que achou do post de hoje? Deixe seu comentário

Compartilhe nas redes sociais!

Sobre o Autor

Sou Fernando Munhoz Moya Ortopedista CRM 112046 graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2003.
0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 13 =

Últimos Posts

Doença de Preiser

Doença de Preiser

A Doença de Preiser é muito rara e não se sabe qual sua causa, por isso o tratamento não é único, precisa ser diagnosticado caso a caso. Veja o que o Dr. Fernando Moya tem a dizer.

ler mais
× Agendar Consulta.