Fibromatose palmar: o que é

 

O que é:

A Fibromatose palmar, ou Moléstia de Dupuytren, é uma doença que acomete principalmente pacientes do sexo masculino, e em geral, depois dos 40 anos.

Para você entender essa história, imagine que entre a pele e as demais estruturas que tem na mão, ou seja, entre a pele, tendões, músculos e parte óssea, existe uma espécie de capa que recobre toda a parte palmar.

A Fibromatose palmar é uma proliferação que acontece dessa capa, produzindo nodulações que podem se confluir e formar as cordoalhas.

Manifestação:

A primeira manifestação que notaremos é pequenas nodulações encontradas geralmente no aspecto palmar da mão, principalmente na linha ou em relação a alguns dedos.

Em geral, começa a ter uma pequena nodulação que pode ou não proliferar, notando outros nódulos. Em casos mais evoluídos começa a formar o que chamamos de cordoalha, uma espécie de nódulo com uma cordinha que puxa o dedo em direção à palma da mão. Mas em um primeiro momento, perceberemos apenas pequenas nodulações.

A grande maioria dos casos tem origem genética, ou seja, não é predisponente por nenhum tipo de fazer, mas em algumas doenças específicas, como, o tratamento de diabetes ou epilepsia, existe maior prevalência dessa patologia.

Veja também: Lesões ligamentares de Mão.

Avaliação:

Uma vez levantada a suspeita, é necessário fazer um exame, como, por exemplo, ultrassom ou ressonância para identificar melhor o processo. A partir daí, definir um período de observação para saber se é um processo que vai estancar ou proliferar.

Já adianto que na maioria dos casos, acabam aparecendo e ficam estáveis, mas um ou outro caso que esse processo evolui, pode haver a necessidade de intervenção.

dr fernando moya assinatura

Por Dr. Fernando Moya.

 

CRM 112046

Formado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com residência em Ortopedia e Traumatologia, pelo instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Especialização em cirurgia da mão e microcirurgia também pelo Hospital da FMUSP.

faixa-dr fernando moya-300x2

 

2 Comentários

  1. Alexandre

    A fisioterapia ajuda a retardar o avanço da doença e/ou eliminá-la?

    Responder
    • Dr. Fernando Moya

      Olá, Alexandre. Depende do quadro clínico do paciente. O ideal é esclarecer essa dúvida com o médico que acompanha o paciente, apenas ele saberá qual a forma de tratamento mais eficaz!

      Espero ter ajudado e obrigado por me acompanhar! Se possível, me siga no Facebook para receber meu conteúdo em primeira mão: https://www.facebook.com/drfernandomoya/

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco

Share This
WhatsApp Agende sua consulta